Autor em foco: Zepe (José Pedro Cavalheiro)

17 DEZEMBRO’16 | 18H00 | SALA ESTÚDIO TEATRO CAMPO ALEGRE
ENTRADA LIVRE

O próximo convidado da rubrica Ilusão de Movimento – um encontro entre abordagens e formas de fazer e ver animação é o reconhecido realizador de cinema de animação Zepe (José Pedro Cavalheiro) que estará connosco para uma retrospectiva quase integral da sua obra, à semalhança da retrospectiva feita pela Cinemateca, em Lisboa, no passado mês de Setembro.

A Casa da Animação achou que era pertinente fazer esta homenagem e trazer as obras do realizador ao Porto, nesta retrospectiva em que serão exibidas as seguintes obras:

COF COF (Portugal, 2000, 8 min)
STUART (Portugal, 2006, 12 min)
CÂNDIDO (Portugal, 2007, 12 min)
GINJAS (Portugal, 2011, 10 min – 5 episódios de 2 min)

CV e BIO ZEPE

Esta conversa será moderada por Serge Saguenail, doutorado em Cinema e Pedagogia, cineasta, argumentista, crítico de cinema e investigador.

Apoio: Agência da Curta Metragem

[+]

Autor em foco: Ícaro (Vitor Pires)

19 NOVEMBRO’16 | 18H00 | SALA ESTÚDIO TEATRO CAMPO ALEGRE
ENTRADA LIVRE

ÍCARO (VÍTOR PIRES) é o convidado da nossa próxima sessão Ilusão de Movimento – um encontro entre abordagens e forma de fazer e ver animação – e falar-nos-á um pouco de todo o seu percurso na animação (e não só), com especial ênfase no seu projecto IFTING SPLIT que já foi apresentado ao público do cinema de animação noutros momentos, nomeadamente nas duas últimas Festas Mundiais de Animação (2015 e 2016).

Além do artista falar sobre o seu percurso, existirão momentos de performance, desenho, captação de som e filmagens, uma pequena amostra do que é o Ifting Split, com oportunidade para o público não só ver mas também experimentar.

PORTEFÓLIO ÍCARO (VITOR PIRES)

A moderação estará a cabo de RUI MASCARENHAS.

BIO | RUI MASCARENHAS
Rui Mascarenhas é co-fundador da Bondlayer, uma das 67 startups selecionadas para representar Portugal na WebSummit, mas, para além disso, está envolvido em diversos projetos de cariz cultural, em modo pro-bono, como é o caso da cogestão dos Maus Hábitos desde há três anos, sendo também diretor financeiro da Associação cultural ligada a este: a Saco Azul. Neste âmbito gere um tripartido apoiado pela DGArtes e em parceira com a Câmara Municipal do Porto, com parcerias com a Arvore e diversas instituições francesas, alemãs, chinesas e brasileira, envolvendo mais de 140 artistas emergentes ao longo de 2 anos. Faz também parte da Comissão Organizadora do Cinanima e já foi já label manager na EMI Classics e Blue Note, assim como diretor de Marketing no lançamento do Visionarium, Centro de Ciência do Europarque. Tem uma pós-graduação em marketing cultural apenas porque gosta destas coisas.

Contamos com a presença de todos!

[+]

autor em foco: Paul Bush

14 MAIO’16 | 18h00 | SALA ESTÚDIO TEATRO CAMPO ALEGRE
ENTRADA LIVRE

O próximo encontro da rubrica Ilusão de Movimento – um encontro entre abordagens e formas de fazer e ver animação – conta com a presença do realizador londrino PAUL BUSH que falará de todo o seu percurso cinematográfico.

A moderar esta sessão estará MARINA ESTELA GRAÇA, professora universitária e investigadora na área do cinema de animação.

PORTFÓLIO PAUL BUSH

Contamos com a vossa presença!

[+]

O DOCUMENTÁRIO ANIMADO

16 ABRIl’16 | 18H30 | SALA CAFÉ-TEATRO TEATRO CAMPO ALEGRE
ENTRADA LIVRE

A segunda sessão de 2016 da rubrica ILUSÃO DE MOVIMENTO – um encontro entre abordagens e formas de fazer e ver animação, será dedicada ao tema O Documentário Animado. Teremos connosco autoras de filmes de animação com carácter documental:

JOANA NOGUEIRA e PATRÍCIA RODRIGUES, realizadoras do filme PRONTO, ERA ASSIM, vencedor de, entre outros prémios, uma menção honrosa na edição 2016 da MONSTRA – Festival de Cinema de Animação de Lisboa

TRAILER PRONTO, ERA ASSIM

LAURA GONÇALVES, autora do filme documental 3 SEMANAS EM DEZEMBRO, vencedor do Prémio Nacional da Animação – Escolas 2013, entre outros prémios

3 SEMANAS EM DEZEMBRO

Moderador:
JOSÉ ALBERTO PINTO, investigador e professor universitário na área do cinema. Mestre na área do cinema documental e doutorado em Arte e Intermedias

[+]

Autor em foco: Regina Pessoa

19 MARÇO’16 | 18H00 | SALA ESTÚDIO TEATRO CAMPO ALEGRE
ENTRADA LIVRE

Para esta conversa contamos coma presença de REGINA PESSOA que será a autora em foco e dar-nos-á a decobrir o seu PROCESSO CRIATIVO.

A entrada, como sempre, é livre e contamos com a presença de todos(as)!

[+]

ilusão de movimento | STORYTELLING

Afiar a Língua: Três Argumentistas
17 outubro (sábado) | 18h00 | Teatro Municipal Campo Alegre (Porto)
Com: Pedro Vieira Moura, Pedro Flores e Virgílio Almeida

De que forma se constrói a narrativa de um filme, de uma série televisiva, de um videojogo ou de uma banda desenhada? Quais os elementos fundamentais que participam no ato de contar uma história usando sequências de imagens?
Neste encontro iremos abordar estas questões contando com a presença de convidados que têm desenvolvido trabalho na área, discutindo-se estratégias e possibilidades no universo atual da narrativa com imagens.

CURTA BIOGRAFIA DOS CONVIDADOS

PEDRO VIEIRA MOURA (Lisboa, 1973). Crítico e investigador académico de banda desenhada, ilustração e animação,
encontra-se a terminar o seu doutoramento entre Lisboa e Leuven. Escreve sobretudo no seu blog Lerbd, mas
participa também em várias plataformas internacionais, inclusive académicas. É autor de argumentos para banda
desenhada, um filme produzido de animação (real. Filipe Abranches), curtas-metragens (real. Pedro Sabino), uma
longa-metragem (em pré-produção), séries televisivas documentais (real. Paulo Seabra), duas óperas (dir. José
Eduardo Rocha), assim como de textos literários.

PEDRO FLORES é realizador e argumentista. Licenciou-se em Som e Imagem pela Universidade Católica Portuguesa e
concluiu o Mestrado em Filmmaking pela London Film School.
É realizador de três curtas-metragens presentes em diversos festivais internacionais. É docente universitário e coeditor
da revista de cinema e teatro Drama. Frequenta, atualmente, o Doutoramento em Artes da Universidade de
Lisboa.

VIRGÍLIO ALMEIDA
Lisboeta, meio-angolano, meio-algarvio, cidadão do mundo. Argumentista, dramaturgo e formador. Aprendiz de
Agostinho da Silva, fã de Tennessee Williams, John Cassavetes, David Linch, Tim Burton e Hayao Miyazaki.
Estudou escrita para cinema, televisão e teatro em Lisboa e em Bruxelas. É autor/co-autor de 18 argumentos cujos
filmes foram seleccionados para mais de 1 centena de festivais internacionais e nacionais de cinema, premiados
com três dezenas de prémios. Em cinema de animação, destaca as parcerias com o realizador José Miguel Ribeiro,
de onde nasceram curtas-metragens como “A Suspeita” (1998), “Passeio de domingo” (2006) e “Papel de Natal”
(2010). Em imagem real, destaca a coautoria dos argumentos das longas-metragens “A ilha dos cães”, realizado
por Jorge António, com estreia comercial em Abril de 2016 e “Nome e Tótala” de Sana Na N’Hada em fase de
pré-produção.Trabalha como script doctor para várias produtoras e televisões europeias. É formador de escrita de
argumento na Restart e na World Academy. Escreveu 8 peças de teatro, tem 6 livros publicados e 3 prémios de
literatura.

[+]

ILUSÃO DE MOVIMENTO

ILUSÃO DE MOVIMENTO
LOCAL: TEATRO MUNICIPAL CAMPO ALEGRE
HORÁRIO: 18H00
DURAÇÃO: 90’

Um encontro entre abordagens e formas de fazer e ver animação.

Encontro de caráter mensal, que decorre a um sábado ao final da tarde no Teatro Municipal Campo Alegre, dirigido a profissionais, estudantes do ensino superior, professores e outro público interessado.

A partir de um tema, um moderador e um ou mais convidados, juntamente com o público, desenvolvem uma conversa sobre animação confrontando pontos de vista sobre processos criativos, linguagens, técnicas e tecnologias.

Estes encontros têm como objetivo divulgar áreas de produção em animação, a forma como esta se conjuga com as outras artes e, ainda, fomentar a reflexão em torno do que a define e como significa.

Pretende-se desenvolver consciências e discursos estruturados sobre animação, área comum a vários meios de comunicação, que, apesar da sua presença em diferentes plataformas e contextos, ainda se encontra pouco estudada e compreendida.

PRÓXIMAS SESSÕES

STORYTELLING
17 OUTUBRO | 18H | CAFÉ-TEATRO

ACTING EM ANIMAÇÃO
28 NOVEMBRO | 18H | CAFÉ-TEATRO
Em animação as personagens não são diretamente suportadas pelo corpo e energia de um ator.
Como é que realizadores e animadores desenvolvem, então, o desempenho teatral das personagens, que constroem e animam com imagens fixas, e de que modo lhes conferem credibilidade?
Neste encontro iremos seguir uma conversa entre autores e profissionais da animação e um especialista em direção de atores.

12 dezembro
Teatro Municipal Campo Alegre, sala ensaios
DESENHO E ANIMAÇÃO
Moderação: Marina Estela Graça (investigadora e professora universitária)

O desenho em animação convoca uma dimensão diferente da habitual: por ser orientado para a composição da ilusão de um movimento, deve fazer-se na extensão que separa cada duas imagens sequenciais.
O que é que vemos, de facto, na superfície do ecrã?
Este encontro propõe-se abordar o que identifica as diferentes estratégias visuais usadas em animação por diferentes autores e a forma pela qual percebemos o movimento a partir do que vemos nos ecrãs.

[+]

O MENINO E O MUNDO

O MENINO E O MUNDO (Alê Abreu, Brasil, 1h25)
local: Museu Nacional Soares dos Reis
data: 23 de Julho 2015, 22h
iniciativa: FESTA DAS ARTES – QUINTAS DO MUSEU

Porque tem algumas das imagens mais belas que alguma vez vimos.

Foi com estas palavras que o júri do Festival Internacional de Ottawa anunciou ao público o prémio especial para O MENINO E O MUNDO.

O MENINO E O MUNDO
Longa-metragem de animação, cor, sem diálogos, 1h 25
Realização: Ale Abreu
Produção: Filmes de Papel
País: Brasil
Classificação etária: maiores de 6 anos

O filme descreve a viagem de um menino que parte em busca do pai, e descobre, pelo caminho, um mundo fantástico, povoado por máquinas-bichos, sonhos coloridos, ritmos alucinantes. Uma viagem que resulta numa descoberta de si e de um país cheio de contrastes, um país alegre e triste.

Sofrendo com a ausência do pai, um menino parte em sua busca. Na ardilosa jornada que empreende, vai descobrindo, aos poucos, a realidade que o rodeia, um mundo fantástico, povoado por máquinas-bichos, seres estranhos, sonhos coloridos, ritmos fantásticos e vai revelando, ao espectador, o seu olhar doce e ingénuo perante questões existenciais, culturais e políticas.

Produzido em 2013, tem granjeado prémios em vários festivais, nomeadamente o Cristal d’Annecy em 2014 (um dos mais importantes festivais internacionais de animação no mundo), ganhou também o prémio de Melhor longa no Cinanima e na Monstra.

A BANDA SONORA
O universo sonoro do filme é muito forte. A música-tema do filme é da autoria do rapper Emicida e a banda sonora original composta por Ruben Feffer e Gustavo Kurlat com as participações de Naná Vasconcelos, Barbatuques e GEM – Grupo Experimental de Música.

A TÉCNICA
Com uma linguagem muito própria, parte da simplicidade dos desenhos infantis para um universo lúdico, colorido e por vezes quase abstrato. Recorre a diferentes técnicas, do desenho, à pintura e colagens, e cria um mundo verdadeiramente fantasioso e único.

[+]

BEST OF CURTAS DE ANIMAÇÃO

local: Museu Nacional Soares dos Reis (pátio)
data: 16 de Julho 2015

Arrancam esta quinta-feira as sessões promovidas pela CASA DA ANIMAÇÃO no âmbito da Festa das Artes – Quintas do Museu, no MUSEU NACIONAL SOARES DOS REIS.

Na primeira sessão apresentaremos uma seleção de algumas das melhores curtas de animação que foram apresentadas ao longo da 23ª edição do Festival Internacional de Curtas de Vila do Conde, que decorreu entre 4 e 12 de Julho de 2015.

De assinalar os filmes AMÉLIA E DUARTE, vencedor do grande Prémio do Público SPA – Sociedade Portuguesa de Autores e do Prémio Canal Plus e MYNASRKI CHUTE MORTELLE, vencedor na categoria Melhor Animação da competição internacional.

WITHIN, de Natália Andrade (2015, 03′)

Uma bailarina perde o seu ritmo. Uma viagem ao interior da culpa, do pudor e do medo.

PLANET ∑, de Momoko Seto (2014, 11′ 49)

Em PLANET ∑, há criaturas gigantes presas no interior de gelo. Explosões submarinas provocaram o aquecimento global, e uma nova vida tem início para os animais.

TEETH, de Daniel Gray e Tom Brown (2015, 05′ 54)

As coisas de valor muitas vezes são descuradas em favor de coisas que são mais gratificantes no imediato. Infelizmente, as coisas que são descuradas muitas vezes perdem-se para sempre. A vida de um homem desorientado e intensamente focado, narrada através das suas obsessões orais.

SONÂMBULO, de Theodore Ushev (2015, 04′ 21)

Com a sombra à volta da cintura / ela sonha na sua varanda, [...] Debaixo da lua cigana, / todas as coisas a estão a observar / e ela não as consegue ver. Uma viagem surrealista através de cores e formas, inspirada no poema “Romance Sonámbulo” de Federico García Lorca. Poesia visual ao ritmo de sonhos fantásticos e noites ardentes.

SOMEWHERE DOWN THE LINE | ALGURES NO FIM DA LINHA, de Julien Regnard (2014, 10′ 19)

“Somewhere Down the Line” segue a vida, os amores e as perdas de um homem, mostrados através das trocas que tem com os passageiros que transporta no seu carro.

AMÉLIA & DUARTE, de Alice Guimarães e Mónica Santos (2015, 08’30)

Nesta história, somos guiados através do relacionamento de Amélia e Duarte, duas pessoas que se separaram e estão a tentar lidar com os sentimentos que vêm depois do final de uma relação.
O seu relacionamento tem a forma de uma caixa de arquivo e o seu conteúdo ilustra a história sobre o seu fim. Somos conduzidos pelas várias formas como ambos lidam com a separação como eles tentam dividir, destruir e apagar as memórias de cada um.
O filme é feito em pixilação e stop-motion e tem uma ambiência Technicolor da década de 50, retratando não só o surrealismo das ações dos protagonistas, mas também proporcionando uma impressão cromática irónica sobre o fim do amor.

FOOTPRINTS | PEGADAS, de Bill Plympton (2014, 04’01)

Um homem ingénuo parte em busca de um monstro destrutivo e misterioso, apenas para chegar a uma revelação inesperada.

MYNARSKI CHUTE MORTELLE | MYNARSKI QUEDA MORTAL, de Matthew Rankin (2014, 07’44)

Um micro-épico histórico artesanal sobre os últimos cinco minutos da vida amaldiçoada de Andrew Mynarski (1916-1944), herói da Segunda Guerra Mundial de Winnipeg. Constituído por 21.000 fotogramas de 35 mm pintados à mão, Mynarski Chute Mortelle mistura propaganda de aviação com animação abstrata, criando um filme de guerra fotoquímico sobre os temas do autossacrifício, eternidade e alforrecas.

[+]

ANIMAÇÃO E PSIQUIATRIA

Nesta conversa destacaremos a relação da animação com o universo psíquico de quem a faz, analisando questões relacionadas com a realização de imagens animadas em benefício do conforto psicológico e com a construção de narrativas pessoais.

Moderadora:
- Marina Estela Graça, professora universitária (UAlg), investigadora e vice-presidente da Casa da Animação

Convidados:
- António Roma Torres, médico psiquiatra
- Fernando Saraiva, realizador e formador no estúdio ANILUPA da Associação de Ludotecas do Porto
- Nuno Amorim, realizador e produtor

Próximos encontros:

23 maio 2015
O SOM DA ANIMAÇÃO
Com: Normand Roger

06 junho 2015
ACTING EM ANIMAÇÃO
Com: José Miguel Ribeiro

[+]