Animação Portuguesa Ruma ao Sul

MOSTRA DE CINEMA DE ANIMAÇÃO PORTUGUÊS
1 A 9 DE JUNHO 2013, PORTO ALEGRE – RIO GRANDE DO SUL (Brasil)

Por ocasião do Ano de Portugal no Brasil, a Casa da Animação e o Cineclube de Torres apresentam em Rio Grande do Sul a maior mostra de animação portuguesa alguma vez realizada no Brasil.

60 filmes de animação portugueses rumam ao sul. Da década de 90 até à atualidade, um conjunto bastante expressivo de filmes, revelando processos criativos variados, modos de vivenciar o mundo e de o transformar através do recurso à animação.

Em Portugal o cinema de animação é tradicionalmente autoral, destacando-se o seu carácter inovador e experimental, que deixa margem à criatividade, irreverência e a uma popularidade que de outra forma seria difícil de alcançar.

É a partir da década de 90, após o rescaldo do fechamento do país aquando da ditadura e enquanto reflexo da entrada de Portugal na Comunidade Europeia, que começava a desenvolver políticas culturais para a consolidação de uma identidade europeia, que o cinema de animação ganha maior expressão em Portugal e passa a gozar de um maior reconhecimento internacional.

Entre os nomes que marcam essa década destacam-se o de Abi Feijó, que assina o notável filme de animação Os Salteadores e de Pedro Serrazina, que se notabiliza com a poética Estória do Gato e da Lua.

Em finais dos anos 90 novos nomes entram em cena, José Miguel Ribeiro ganha o Cartoon D’Or com a sua média metragem de animação em volumes, A Suspeita e Regina Pessoa estreia-se na realização com A Noite, primeiro filme de uma trilogia que conclui em 2012, com a estreia do filme Kali, o Pequeno Vampiro.

Hoje a realidade da produção nacional é bem distinta, produzem-se anualmente curtas-metragens de grande qualidade e que fundem com mestria as práticas tradicionais e as técnicas digitais, reinventando novos sentidos para o cinema de animação.

PROGRAMA

1. ABERTURA DO EVENTO
No dia 1 de Junho 2013 haverá, na Cinemateca Paulo Amorim, a Sessão Inaugural com convidados. No dia 3, a abertura do Evento no Cinebancários será antecedida por uma conferência sobre a especificidade formal dos filmes animados.

2. Exibições Cinematográficas com Sessões de Curtas e Medias Metragens de Cinema de Animação:
Exibição do ciclo de sessões (ver calendário detalhado em anexo) em cada um dos espaços destinados às apresentações (Cinemateca Paulo Amorim e Cinebancários) entre os dias 3 e dia 9 de Junho, inseridos na normal programação das salas. De manhã poderá haver alguma sessão especial direcionada a Escolas Municipais ou Estaduais (Cinemateca Paulo Amorim)

1. ESTÓRIAS COM POESIA
Os Salteadores, Abi Feijó (20′, Filmógrafo)
Estória do gato e da lua, de Pedro Serrazina (06′, Filmógrafo)
Cães Marinheiros, Joana Toste (06′,Filmógrafo)
Interstícios, Marina Estela Graça (06′, Filmógrafo)
A Suspeita, José Miguel Ribeiro (26′, Zeppelin Filmes)
História Trágica com Final Feliz, Regina Pessoa (07′ 46, Ciclope Filmes)

2. ALMA LUSITANA
Fado Lusitano, Abi Feijó (07′, Filmógrafo)
Sêlo ou não se-lo, Isabel Aboim Inglez (09′, Animais)
28, José Xavier (04’05, Oh animation)
A dama da Lapa, Joana Toste (04′, Zeppelin Filmes)
Stuart, Zepe (10′, Animais, Zeppelin)
Ossudo, Júlio Alves (13′ 54, Tangerina Azul)
A noiva do gigante, Nuno Amorim (09′, Animais)
Jantar em Lisboa, André Carrilho (10′, Animais)

3. INQUIETAÇÕES
O Clandestino, Abi Feijó (07’32, Filmógrafo)
Todos os gajos têm um tio maluco, Afonso Cruz (06′, Animanostra)
Guisado de Galinha, Joana Toste (05′, Gomtch Gomtch)
Cândido, Zepe (11′ 20, Lâmpada Acesa)
Desassossego, Lorenzo Degli’Innocenti (20′ Sardinha em lata)
Mi vida in tus manos, Nuno Beato (08’30, Sardinha em lata)
Passeio de Domingo, José Miguel Ribeiro (20′ Zeppelin Filmes)

4. DO SENTIMENTO DE SI
Olhos do Farol, Pedro Serrazina (10′, Filmes da Praça)
O Homem da cabeça de papelão, Luís da Matta Almeida, Pedro Lino (10′, Zeppelin Filmes)
Smolik, Cristiano Mourato (08′ ESAD)
A única vez, Nuno Amorim (05’40, Animais)
Pássaros, Filipe Abranches (07, Animanostra)
O Sapateiro, David Doutel e Vasco Sá (10′, Sardinha em lata)
Viagem a Cabo Verde, José Miguel Ribeiro (17′, Filmes da Praça)

5. UM OUTRO OLHAR

Independência de espírito, Marta Monteiro (10′, Sardinha em lata)
Algo Importante, João Fazenda (07′, Animanostra)
Os Milionários, Mário Gajo de Carvalho (14′, Zeppelin Filmes)
Sanguetinta, Filipe Abranches (11′, Animais)
Outro Homem Qualquer, Luís Soares (10′, Bando à Parte)
Fado de um Homem Crescido, Pedro Brito (07′ 20, Animanostra)
Kali o Pequeno Vampiro, Regina Pessoa (09′, Ciclope Filmes)

6. FANTASIAS E TROPELIAS 1
Ovos, José Miguel Ribeiro (03′, Filmógrafo)
A Caixa negra, Nuno Amorim (15′, Animais)
Mais!, Fernando Antunes (04’30, Universidade Católica)
Bom dia Benjamim, Nuno Amorim (02′, Animais)
Vacas, Isabel Aboim Inglez (09’40, Animais)
Ema e Gui, Nuno Beato (07, Sardinha em Lata)
História de um caramelo, Pedro Teixeira (10′, Cinemate)
As coisas lá de casa, José Miguel Ribeiro (05′, Zeppelin Filmes)

7. FANTASIAS E TROPELIAS 2
Energia para todos, José Miguel Ribeiro (01′, Filmes da Praça)
O Cágado, Luís da Matta Almeida e Pedro Lino (10′, Sparkle animation)
Ginjas, Zepe e Humberto Santana (04′, Animanostra)
RXYZ, Joana Toste (03′, Gomtch Gomtch)
Eu queria ser Poeta, Ricardo Blanco (03:00, Animanostra)
O Gigante, Júlio Vanzeler e Luís da Matta Almeida (05:00, Sparkle animation)
As Máquinas de Maria, Marta Madureira e Pedro Teixeira (04, Pedro e o Gato)
Saltinhos a Madrid, Luís da Matta Almeida (70′, Zeppelin Filmes)
Kali o Pequeno Vampiro, Regina Pessoa (09′, Ciclope Filmes)
Dodu, o rapaz de cartão, José Miguel Ribeiro (04′, Filmes da Praça)

OFICINAS DE ANIMAÇÃO E CONFERÊNCIAS
22 a 26 de Julho de 2013

Procurando estimular o recurso ao cinema de animação, sabendo que se trata de um belíssimo meio de expressão artística, mas também um excelente veículo para a comunicação e pedagogia, propõem-se duas oficinas de animação, ambas orientadas para o público adulto, a primeira orientada para o ensino da animação e segunda com intuito de desenvolver um pequeno filme animado, enfatizando os aspetos processuais e instrumentais da animação.
Propõe-se também a realização de uma conferência, proferida por Marina Estela Graça, sobre a especificidade dos filmes realizados com técnicas de animação, dirigida a um público adulto, em contexto escolar e académico.

ENSINAR ANIMANDO
Orientador: Marina Estela Graça
Duração: 20 horas
Local: Museu da Comunicação Hipólito José da Costa (www.museudacomunicacao.rs.gov.br)
Horário: 08h – 12h
Público-alvo: maiores de 18 anos
Nº máximo de participantes: 15

Curso livre de formação, com uma abordagem ao cinema de animação, dirigido a adultos que pretendam adquirir conhecimentos práticos e teóricos, métodos e ferramentas que os habilitem a orientar e trabalhar com crianças e jovens nestas áreas, tanto em contexto escolar (extracurricular) como noutros similares.

O MEU PRIMEIRO FILME ANIMADO
com o tema “WANTED! ANIMATORS!” | “PROCURAM-SE ANIMADORES!”
Por crimes contra a realidade:
#1 por dar movimento ao que não se move!
#2 por contrariar as leis da gravidade!
#3 por manipular a regras do espaço físico!
#4 por abusar dos limites gráficos do corpo!
#5 por distorcer o espaço-tempo!

Orientador: Pedro Serrazina
Duração: 20 horas
Horário: 14h00 – 18h00
Público-alvo: maiores de 18 anos
Nº máximo de participantes: 15 (organizados em grupos etários de 3 a 5 elementos)

Oficina de introdução ao cinema de animação com recurso a diferentes materiais: fotografias, objetos, desenhos e recortes.

Esta oficina tem como objectivo a realização de um pequeno filme de animação colectivo. Percorrendo as principais fases de produção, pretende-se realizar um filme que reflita a identidade dos participantes, fazendo uso das qualidades especificas do cinema de animação. Com aplicações informáticas acessíveis, vamos combinar materiais variados (como a fotografia e objetos pessoais, desenhos, recortes…) e explorar as noções fundamentais da animação para criar uma representação única da identidade dos participantes através da imagem em movimento.

Este é um curso livre de formação, com uma abordagem ao cinema de animação, dirigido a adultos que pretendam adquirir conhecimentos práticos e teóricos, métodos e ferramentas que os habilitem a orientar e trabalhar com crianças e jovens nestas áreas, tanto em contexto escolar (extracurricular) como noutros similares.

CONFERÊNCIA
O que é animação: a especificidade formal dos filmes animados.
Oradora: Professora Doutora Marina Estela Graça
Local: Cinebancários, Porto Alegre
Duração: 60 minutos

Resumo: A ilusão de movimento que percebemos nos filmes de animação tem a sua origem na forma como o animador manipula a relação gráfica entre dois quadros contíguos em cada sequência fílmica. No entanto, essa ação aparentemente simples implica diferentes modos de codificação. O sentido de um documento animado vem da articulação de um conjunto de elementos formais que constituem seu discurso e que também pertencem a diferentes linguagens e disciplinas: percepção do movimento aparente, comunicação gráfica, composição de movimento, expressão dramática, estruturação narrativa, linguagem cinematográfica, sincronia entre som e ações e relação de continuidade / descontinuidade na duração fílmica. Esta conferência pretende dar a conhecer as várias competências a desenvolver por quem quer fazer animação.

[+]